sábado, junho 24, 2006

Cerca de 1400 escolas já fecharam!

O Ministério da Educação estimava, ontem (último dia de aulas), que estariam a encerrar portas cerca de 1400 escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico, a maior parte das quais com menos de 10 alunos. Algumas das escolas primárias em causa não chegavam a ter meia dúzia de discentes, situação que, em muitos casos, não impedia graus de insucesso muito elevados, de acordo com fonte oficial do Ministério.
Como é do conhecimento público, Maria de Lurdes Rodrigues pretende encerrar todas as escolas do primeiro ciclo e jardins-de-infância com menos de 20 alunos, ou sem condições mínimas de funcionamento, até 2010. De acordo com fonte oficial do Ministério, estarão em causa cerca de 4200 unidades, incluindo jardins-de-infância. A estratégia explica-se pela necessidade de reordenação da rede escolar, por forma a concorrer aos fundos comunitários no âmbito do futuro Quadro de Referência Estratégica Nacional 2007-2013. "Algumas escolas serão substituídas por outras e muitas sofrerão obras de remodelação. Tínhamos de incluir os jardins-de-infância na candidatura aos fundos comunitários", explicou a mesma fonte oficial.
Aliás, o Ministério tenta novamente explicar o anúncio feito pela ministra da Educação, no início do ano, relativo ao fecho, até 2010 ,de 4500 escolas do 1.º Ciclo com menos de 20 alunos. Não há 4500 escolas do 1º Ciclo albergando menos de 20 alunos, mas sim 2880. Há que acrescentar 1289 jardins-de-infância, o que dá um total de 4169. Factos irrefutáveis apresentados há uma semana pelo JN. No entanto, os 4169 já se aproximam das 4200 unidades agora estimadas como sendo susceptíveis de encerramento. O Ministério lembra ainda que o critério do número de alunos não é único. Falta de condições e insucesso escolar poderão justificar o fecho de escolas. Tanto assim é que estes dois últimos critérios poderão mesmo sobrepor-se, em simultâneo ou não, ao número de alunos. Ou seja, poderá dar-se o caso de algumas escolas com mais de 20 alunos encerrarem por critérios qualitativos e não quantitativos.
in JN