quinta-feira, junho 01, 2006

"Há tantos sonhos esquecidos no mundo dos Homens!"

A edição francesa de "O Principezinho", do escritor Antoine de Saint-Exupéry, completa 60 anos mantendo a marca de livro mais traduzido da história da literatura, além de ser uma referência para crianças e adultos de todo o mundo.
Saint-Exupéry (1900-1944) imaginou o personagem muito antes de começar a escrever o livro. Nos seus desenhos dos anos 30, é comum encontrar um personagem com o cabelo louro, vestido com um longo manto e cercado de estrelas.
Mas foi só em 1942 que Saint-Exupéry resolveu escrever um livro sobre o jovem. O editor americano Eugéne Reynal, vendo um desenho num guardanapo quando almoçavam juntos, sugeriu que transformasse o personagem no herói de um conto infantil. Seis meses depois nascia "O Principezinho".
Três meses mais tarde, a editora Reynal & Hitchcock publicou o livro nos EUA, nas versões em francês e inglês. Uma semana depois, Saint-Exupéry, que lutava como piloto contra as forças do Eixo, partiu para uma missão no Norte da África e nunca mais voltou.
Um ano após o fim da guerra, em 1946, o livro foi lançado na França, primeiro em folhetins, na revista "Elle", e depois como livro de bolso, pela editora Gallimard.
Hoje " O Principezinho" é um livro sem idade!
"Para mim, esta é a mais bela e mais triste paisagem do mundo. É a mesma paisagem da página anterior, mas voltei a desenhá-la para vocês a verem melhor. Foi aqui que o principezinho fez a sua aparição na Terra e, depois, desapareceu. Fixem bem esta paisagem para a poderem reconhecer se um dia fizerem uma viagem a África e forem ao deserto. Se passarem por ali, suplico-vos: não tenham pressa, fiquem um bocadinho à espera mesmo por baixo da estrela! Se Vier um menino ter convosco, um menino que se está sempre a rir, com cabelos cor de ouro e que nunca responde quando se lhe faz uma pergunta, já sabem quem ele é. E então, por favor, sejam simpáticos! Não me deixem assim triste: escrevam-me depressa a dizer que ele voltou..."
Antoine de Saint-Exupéry, in O Principezinho

5 Comments:

Anonymous Ana Santos said...

«Le Petit Prince» de Antoine de Saint-Exupéry é uma obra intemporal – aos sete anos é infantil , aos quinze é romântico, e a partir dos vinte é um autêntico compêndio da arte de voar através do sonho.

Nesta obra encontramos a criança que todos somos e a maturidade de que todos precisamos.

O Princepezinho ensina-nos ou lembra-nos como se ama, como se cativa, como se vê o invisível, tal como ele diz, «como se vê com o coração» .

O Pequeno príncipe será sempre uma referência na literatura do nosso tempo e bom seria que durante toda a nossa vida um princepezinho nos lembrasse ao ouvido que «...o essencial é invisível aos olhos...».

E se precisamos de sonhar...

quinta-feira, junho 01, 2006  
Anonymous Anónimo said...

I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»

sábado, julho 01, 2006  
Anonymous Anónimo said...

I'm impressed with your site, very nice graphics!
»

terça-feira, julho 18, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
»

quinta-feira, julho 20, 2006  
Anonymous Anónimo said...

I find some information here.

sexta-feira, julho 21, 2006  

Enviar um comentário

<< Home