quarta-feira, junho 14, 2006

Ministra acusa professores de nunca fazerem greve ao Sábado ou ao Domingo prejudicando desta forma os alunos!

A ministra da Educação acusou hoje a Federação Nacional de Professores de ter uma agenda partidária e de ter convocado uma greve prejudicial para os alunos. A Fenprof já negou a acusação de partidarismo, afirmando que o seu objectivo é construir escola pública de qualidade.
"Há sindicatos capturados por partidos e que têm uma agenda que não é a educação", afirmou Maria de Lurdes Rodrigues, no final da reunião do Conselho de Ministros.
Explicando ter apresentado aos seus colegas de Governo o ponto da situação do processo de revisão do estatuto da carreira docente, Maria de Lurdes Rodrigues garantiu ter havido “no Conselho de Ministros uma incompreensão generalizada em relação à greve marcada para hoje, porque se tratou da primeira reacção ao início de um processo negocial”.
Provavelmente ofender e responsabilizar injustamente os professores não terá sido o melhor "início de um processo negocial"!
A ministra da Educação sublinhou que a greve "terá consequências muito prejudiciais para os alunos, sobretudo para aqueles que terão exames a partir da próxima semana".
Foi para ter este argumento que a Sra. Ministra adiou a apresentação da proposta de alteração ao Estatuto da Carreira Docente de Fevereiro para o passado dia 29 de Maio?
Ainda assim, a ministra admitiu que “os professores que fazem greve estão a exprimir uma insatisfação pelas mudanças que estão a ser propostas”. “É natural que haja insegurança e até um sentimento de fragilidade em relação às medidas, porque está em causa uma mudança radical" no sector”, acrescentou.
Uma mudança radical no sector passará certamente pelos professores mas nunca prioritáriamente como este ME está a querer fazer crer!
in PÚBLICO

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Como a ME afirmou "não está tudo em aberto". "Mas alguns pontos podem ser negociados com os sindicatos, como o tempo e o modo de aplicação de algumas medidas" ou seja já só falta a publicação em DR. Afinal a ME pertence ao PIDE (Partido de Incompetentes Destruidores da Educação)... isto em França não aconteceria mas os Portugueses aceitam tudo o que lhe colocam na mão: aumentos salariais, aposentações, encerramento de EB1, maternidades, etc...etc... VOTARAM NELES...AGORA ATURAMOS ESTES POLITICOS INCOMPETENTES...INFELIZMENTE

quarta-feira, junho 14, 2006  
Anonymous D L said...

A ideia defendida por Maria de Lurdes Rodrigues de que a greve teria consequências nefastas sobre os alunos que vão em breve realizar exames e sobre as suas famílias não tem fundamento. Estes alunos já terminaram as suas aulas e a greve não vai ter qualquer interferência na realização dos exames, pelo que as afirmações da sua ministra terão como único objectivo dar uma imagem negativa dos professores, dando a ideia que estes estão a prejudicar os alunos. A greve é um recurso legítimo e é incrível como a sua legitimidade só é colocada em causa quando é realizada pelos professores.

quarta-feira, junho 14, 2006  
Anonymous jm said...

Mais uma vez a ministra conseguiu atingir os seus objectivos: destruir a imagem dos docentes portugueses. Assim se vai longe na educação em Portugal...assim se vai bem longe...bem na cauda da Europa!

quinta-feira, junho 15, 2006  

Enviar um comentário

<< Home