quinta-feira, julho 20, 2006

Ministra vai hoje ao Parlamento!

A ministra da educação, Maria de Lurdes Rodrigues, vai hoje ao Parlamento, a pedido do PSD, para dar explicações sobre os exames nacionais do 12.º ano.
A 2.ª fase das provas começou hoje com o adensar da controvérsia à volta do regime de excepção criado para Física e Química e com os alegados erros detectados nestes exames.
Em declarações ontem aos jornalistas, Maria de Lurdes Rodrigues afirmou que irá ao Parlamento prestar declarações sobre os exames, mas foi firme na vontade de não autorizar a repetição de todas as provas na 2.ªa fase. "Está fora de causa repetir todos os exames", declarou.
A ministra justificou a decisão de autorizar a reptição de Física e Química como uma medida "política". Daí que este regime de excepção não seja aberto a mais nenhuma das disciplinas.
Recorde-se que aos alunos do 12.º ano é dada a possibilidade de irem à segunda fase, sob pena de não poderem candidatar-se à primeira fase de acesso ao ensino superior.
As más notas a Física e Química serviram de pretexto para autorizar um regime de excepção, que dá a estes alunos a possibilidade de repetirem as provas sem serem penalizados. Contudo, as dúvidas acerca das perguntas elaboradas nestes exames - a Sociedade Portuguesa de Química defendeu mesmo a anulação de uma das questões - terão, também, pesado na tomada de decisão do Governo.
As reacções críticas de pais, sindicatos e partidos da Oposição não se fizeram esperar. Ontem, um grupo de encarregados de educação de Braga ameaçou recorrer a tribunal e exigiu a repetição dos exames a todas as disciplinas.
Mais surpreendentes terão sido as declarações do deputado socialista António Vitorino que, esta semana, em entrevista à RTP, defendeu que a ministra deve explicações públicas sobre o assunto. "Temos direito a saber o que é que falhou. Alguma coisa falhou. A ministra tem de dar uma explicação até para tranquilizar as famílias e sobretudo para que nós percebamos o que vai ser feito no futuro", disse Vitorino.
Ontem, Maria de Lurdes Rodrigues confirmava a presença no Parlamento, na sequência de uma solitação apresentada pelo PSD no início desta semana. Não fez, no entanto, qualquer comentário às afirmações de António Vitorino, alegando não ter, ainda, ouvido as declarações do deputado, apesar de lhe terem dado conhecimento das mesmas.
No início da 2.ª fase das provas, a ministra não se escusa a dar explicações, mas afasta a hipótese de avaliar, por enquanto, o processo de exames, relegando este assunto para Setembro, altura em que se procederá à "análise e avaliação exaustiva daquilo que se passou, corrigindo aquilo que houver para corrigir".