quinta-feira, julho 20, 2006

Pais e alunos contestam discriminação na repetição dos exames!

Um despacho do secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, emitido na semana passada, determinou que estes alunos podem concorrer ao ensino superior na primeira fase de candidatura, na qual há mais vagas disponíveis, mesmo que decidam repetir o exame, contando a melhor das notas obtidas para a candidatura à universidade.
A excepção foi justificada pelo ministério com o facto dos alunos terem alcançado nas duas provas um "valor médio relativamente baixo e muito inferior ao verificado no ano passado" (médias de 6,9 valores a Química e 7,7 a Física) e por se tratarem de programas novos, testados este ano pela primeira vez em exame nacional do 12º ano.
Contudo, as justificações apresentadas não convenceram pais, sindicatos e partidos políticos, que alegam que o mesmo argumento pode ser aplicado às outras disciplinas da nova reforma e que acusam a ministra de discriminação.
A ministra remeteu ainda para Setembro uma "análise e avaliação exaustiva ao que se passou", juntamente com os departamentos disciplinares das escolas.Maria de Lurdes Rodrigues desloca-se amanhã ao Parlamento para um debate de urgência, solicitado pelo PSD, sobre a forma como correram os exames nacionais do ensino secundário.

in PÚBLICO