terça-feira, setembro 12, 2006

Sindicato denuncia irregularidades nos concursos de professores!

A Associação Sindical de Professores Licenciados (ASPL) denunciou hoje que continuam a existir erros e irregularidades nos concursos de professores, depois de uma primeira análise às listas de colocação de docentes saídas ontem.
Em comunicado, a ASPL diz que devido a atrasos do Ministério da Educação apenas 4268 professores se podem apresentar hoje ao serviço, um dia depois do arranque do ano lectivo.
Além deste atraso, a associação lamenta que o ministério “continue a cometer uma série de erros e irregularidades na colocação de professores e educadores”.
Segundo a ASPL, existe um “grande número de docentes não colocados”, entre eles 4477 dos Quadros de Zona Pedagógica (QZP).
A associação não compreende a situação, uma vez que “existiam vagas por preencher, para as quais são contratados novos docentes”.
Como exemplo, a associação refere o grupo de Português, onde havendo 261 professores de QZP por colocar, foram contratados 82 novos professores.
“Além dos direitos dos docentes dos quadros, que estão à frente, em termos de concurso, há a questão financeira, uma vez que o Estado terá que pagar a dois professores quando pode pagar apenas a um”.
A ASPL vai exigir ao ministério que “corrija urgentemente esta situação” e vai avançar com uma queixa para a Provedoria de Justiça.

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A sinistra acabou de referir na TV que estava bem de ver que há um excesso de professores dos quadros do ME! A fulana é doida, não é? A título de ex elucidativo: no m/ agrupamento onde no ano anterior estavam colocados 13 professores de E. Especial, estão colocados...4. Pois, mas a lista de alunos do ano anterior mantem-se. Entretanto chegaram 3 "paraquedistas" convidadas para a intervenção precoce mas não é para trabalharem com os alunos. É fora. Elas tb não sabem bem...mais uma outra "paraquedista" que tb não sabe muito bem o que vai fazer...entretanto andam à pesca de uns professores que talvez aceitem trabalhar com "estas crianças"...Os professores que concorreram a destacamento não ficaram colocados. Não tem explicação. Eu própria tenho que me beliscar para acreditar no que está a acontecer. Não há palavras...

sexta-feira, setembro 15, 2006  
Anonymous Anónimo said...

DE facto parece que os erros foram muitos.Conheço colegas que me narraram a sua situação: Uma, ficou colocada num horário de F.Químicas numa EB2,3 juntamente com mais três colegas.Ora, a dita escola só tinha requisitado 2 profs.Assim, temos 4 profs para 2 horários. Numa outra EB2,3 foi colocado um prof de português num horário misto ( francês/Português).A dita escola teve de pedir mais um prof. para leccionar francês. O dito horário foi repartido pelos 2 profs, significando isto, que ambos têm actualmente horários reduzidos. Numa outra E.B2,3 efectivaram 2 profs de Português quando a escola necessitava de um prof de Francês.Para não falar da colocação de contratados num QZP quando, nesse mesmo QZP, o ME tem professores do quadro por colocar. E isto é verídico porque pude confirmar. Quem paga todas estas despesas?

sábado, setembro 23, 2006  
Anonymous Jorge Águas said...

Sem dúvida!... Meus amigos, somos mais de 20 por cento os professores injustiçados e maltratados neste concurso 2006 / 2007. Se avaliarmos: - Os colegas que viram as notas de DESE não valorizadas; - as vagas que não tiveram recuperação automática; - as escolas dadas para encerramento, que depois não encerraram e cujos códigos não apareceram na primeira fase; - a colocação extemporânea da segunda fase; Somos levados a concluir, sem reservas, que somos mais de 20 por cento os lesados e injustiçados. Não se esqueçam! Concurso já em 2007. Sindicatos, exijam isto em todas as negociações com o ME.

sábado, setembro 23, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Quando olho em meu redor,vejo uma sociedade pejada de falsidades, de compadrios, de interesses calculistas e economicistas. Temos de cumprir estatísticas, cumprir rigorosamente os prazos, mesmo que os alunos acabem os seus cursos sem saber ler uma notícia. Em todas as profissões as pessoas falham, mas há quem reflicta e faça para que não volte a falhar. No entanto, altos cargos políticos e outros fazem o que querem, brincam com a dignidade das pessoas e as suas vidas e nada lhes acontece. Cometem-se atropelos à Lei Geral do Trabalho e tudo parece tão transparente aos olhos dos mais incrédulos! Gostaria de poder trabalhar num clima de empatia, de motivação extrínseca, legalidade e respeito pela condição humana.

sábado, setembro 23, 2006  
Anonymous Anónimo said...

Com tantos erros constatados neste concurso, como é possível que a nossa Ministra continue a teimar que o concurso é válido por 3 anos. A catástrofe deste concurso não se compadece com mais demoras. 365 dias já é muito tempo, quanto mais 365X3! A lei tem de ser alterada. O concurso deverá ser anual, as necessidades permanentes e residuais alteram-se muito de ano para ano.Quem lucrará com estes lugares vagos e horários zero? Este ano,se não há vagas para os que estão no quadro, como se justifica a entrada de tantos contratados? As vagas deveriam ser apuradas com toda a clareza, quanto à sua recuperação, esta deveria ser feita (de todos os lugares) à data da elaboração das listas. Esta "areia na engrenagem" só serve para beneficiar uns e prejudicar outros. Um concurso bem feito e justo é altamente motivador para a nossa classe. Um professor contente e bem colocado, falta pouco e dá tudo pela sua profissão.Os erros não se poderão perpetuar por tanto tempo.Haja justiça.

sábado, setembro 23, 2006  
Anonymous manuel oliveira said...

A desmotivação é total! Parece que o melhor é perder tempo de serviço...Vejo colegas que andam nisto há meia dúzia de anos, a ocuparem vagas que deviam ser ocupadas por mim. A nós desterram-nos para onde Judas perdeu as botas! É assim que a ministra quer qualidade no ensino?Longe de casa e a sair às 5 e meia da tarde...ou da noite...´não percebe nada de pedagogia sra ministra, senão saberia que professores injustiçados+alunos cansados=insucesso escolar!Não é mantendo alunos e professores todo o santo dia na escola que consegue alguma melhoria na taxa do sucesso escolar. Ou os sindicatos agem finalmente e com firmeza, ou estamos perdidos. Mas...a culpa é dos Felipes que deviam ter trazido um exército bem maior. Se estivessemos entregues aos Espanhois, este país andaria bem melhor! Isto é a República...mas a das Bananas!

sábado, setembro 23, 2006  

Enviar um comentário

<< Home