sábado, setembro 02, 2006

SPRC denuncia irregularidades nos concursos!

O Sindicato dos Professores da Região Centro (SPRC) denuncia a alegada existência de erros nos concursos de professores. Isto porque, segundo avança em comunicado, "há irregularidades que decorrem da não recuperação de vagas".
De acordo com o Sindicato, são duas as possibilidades de irregularidades na colocação de professores: ou algumas vagas deixadas livres pelos destacamentos não foram recuperadas ou haverá lugares declarados pelas escolas mas que não terão sido postos a concurso pelo Ministério da Educação.
Segundo garante o SPRC, "em relação a alguns casos (escolas que declararam as suas vagas até 8 de Agosto) não houve substituição do docente que se desloca para outro estabelecimento de ensino". Resultado: "Essas vagas só serão ocupadas agora por professores com menor graduação profissional".
Para provar o teor da denúncia, o Sindicato apresenta exemplos de escolas na Região Centro que terão ainda vagas por preencher, e que irão ser preenchidas durante as colocações cíclicas.
A Direcção do SPRC afirma que "muitas das vagas que não vieram a concurso correspondem a estabelecimentos do 1.º ciclo cujo encerramento estava previsto mas não veio a ocorrer". Outras estariam destinadas a colocações para o ensino especial, que serão agora preenchidas transitoriamente.
A denúncia desta estrutura sindical surge depois da contestação de um grupo de professores de Castelo Branco, que se diz ultrapassado injustamente por colegas menos graduados.
in EDUCARE

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Se os serviços do ME trabalharam devagar e mal na recolha de vagas para a 1ª fase do concurso e, com isso, mandaram para bem longe os professores mais graduados, por que razão estamos preocupados com o próximo fuuro? Se não houver reposição de justiça, façamos como eles nos ensinaram: trabalhemos devagar, devagarinho, com recreios alargados, sem trazer um trabalho de casa para fazer, com recreios alargados... sem stress. No fim de cada ano, passemos os alunos todos para que a nossa Eminência se possa vangloriar dos óptimos resultados obtidos. Caros colegas: SE ELES NÃO REVELAM QUALQUER SENTIDO DE JUSTIÇA NEM QUALQUER TIPO DE SENSIBILIDADE EM REPOR A LEGALIDADE DA SITUAÇÃO, PROMOVAMOS O SEU MAIOR VALOR: A INCOMPETÊNCIA.

sábado, setembro 02, 2006  
Anonymous António Dias said...

Começo por dizer que não sou parte interessada no assunto. No entanto não compreendo por que não são feitas de imediato novas colocações. Ainda há tempo para repor as vergonhosas situações de injustiça que o ME criou. É preciso lembrar a Sra. Ministra que prejudicou a grande maioria dos profs que se encontram no sistema educativo. E mais... os mais graduados e os mais experientes. Só em Portugal poderia existir uma profissão em que quantos mais anos de trabalho tem um trabalhador mais longe fica de casa. E ninguém faz nada? Do ME esperava-se um pouquinho de sensibilidade e de bom senso. (Se quiserem ainda estão muito a tempo de regularizar a situação). Dos sindicatos esperava-se maior contestação, denúncia de situações, capacidade de obrigar o ME a fazer novo concurso. Mas não. O ME assobia para o lado e nem dá conta que os seus professores mais graduados estão de rastos e completamente desmotivados para trabalhar. Os sindicatos, esses, deviam ficar completamente esvaziados.

sábado, setembro 02, 2006  

Enviar um comentário

<< Home