segunda-feira, outubro 30, 2006

Pais de alunos protestam contra falta de funcionários


Os pais da escola do primeiro ciclo nº 1 de Linda-a-Pastora, em Oeiras, protestaram hoje contra a falta de segurança naquele estabelecimento de ensino, alegando haver apenas uma auxiliar de educação para acompanhar 87 alunos.
Em comunicado, a associação de pais acusa a Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL) de "incompetência", por não ter garantido atempadamente a colocação das auxiliares de acção educativa na escola.
A escola, construída de raiz, começou hoje a funcionar pela primeira vez, tendo sido para lá transferidas 87 crianças, que até agora frequentavam, provisoriamente, um outro estabelecimento de ensino.
"A lei estabelece um rácio de 33 alunos para cada auxiliar e na escola há apenas uma funcionária para 87 crianças, o que põe em causa a segurança. Além disso, o seu horário de trabalho é de sete horas e a escola está aberta mais tempo do que isso, o que significa que as crianças podem vir a ficar sozinhas, depois da auxiliar sair", explicou Teresa Ferreira, da associação de pais.
Para prestar apoio e garantir as condições de segurança, os pais vão assumir, entre si, essa função, ficando todos os dias na escola durante o horário de funcionamento das actividades, até que sejam colocados mais funcionários auxiliares.
"Cada dia vão estar quatro pais na escola. Tivemos de tirar dias de férias para podermos garantir a segurança das crianças, mas é lamentável que tenham de ser os encarregados de educação a desempenhar uma tarefa que compete ao Estado garantir", criticou a responsável da associação, admitindo a possibilidade de a escola ser fechada a cadeado, caso a situação não seja resolvida.
A associação apresentou à DREL, no dia 24 de Outubro, um requerimento a pedir a colocação de mais auxiliares de acção educativa, mas não obteve qualquer resposta até agora.A Direcção Regional de Educação de Lisboa ainda não confirmou se vão ou não ser colocados mais funcionários na escola.
ín PÚBLICO