terça-feira, janeiro 16, 2007

Governo garante que educação será prioritária no QREN

O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que a educação será uma prioridade do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) 2007/2013, mas sublinhou que os novos critérios de aplicação dos fundos fugirão aos erros cometidos no passado.
"Concentraremos [na modernização do ensino] o essencial das energias, mas não faremos como no passado", advertiu, adiantando que, a partir de agora, as metas prioritárias serão a requalificação do parque escolar, os cursos profissionalizantes e a formação certificada".
Segundo José Sócrates, nos anteriores quadros comunitários de apoio permitiu-se que "boa parte do esforço em formação não qualificasse nem certificasse as pessoas". "Nem deixaremos degradar, como aconteceu nos últimos anos, o parque escolar dos principais centros urbanos, em especial das nossas escolas secundárias", assegurou, depois de ter feito uma crítica global aos anteriores critérios de Portugal na utilização dos fundos comunitários.
Na perspectiva do primeiro-ministro, no passado Portugal não identificou "a natureza dos seus principais défices", que disse situarem-se nos domínios da qualificação e nas culturas técnica e científica, nem foi "suficientemente selectivo no apoio ao investimento verdadeiramente modernizador e com potencial de multiplicação".
De acordo com Sócrates, o país também não soube "acompanhar o investimento realizado com a melhoria dos factores envolventes do sucesso competitivo, aquilo a que hoje se chamam os custos de contexto”. “Fizemos progressos limitados na redução da burocracia, na simplificação da acção do Estado e no combate à informalidade na economia", criticou ainda o primeiro-ministro.
Após o diagnóstico do passado, o chefe do Governo referiu que os apoios "serão essencialmente concentrados na dupla certificação: nas formações que permitem a progressão escolar e profissional dos cidadãos", a segunda das suas dez prioridades na aplicação do QREN.
in LUSA