quarta-feira, março 14, 2007

Ministra defende encerramento de 900 escolas do 1º ciclo


A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, defendeu hoje o encerramento, no próximo ano lectivo, de 900 escolas de reduzida dimensão do 1º ciclo.
"Se o conseguirmos fazer, o país tem resolvido este problema das escolas de reduzida dimensão e das escolas abandonadas", disse Maria de Lurdes Rodrigues, no final de uma reunião de trabalho na autarquia de Castelo Branco.
A ministra disse que os serviços do Ministério da Educação estão a trabalhar com os municípios para a definição das escolas a encerrar e para que sejam encontradas soluções para os alunos.
"Os serviços do Ministério da Educação procuram a solução com as autarquias e quando se encontra uma solução que seja melhor, que ofereça às crianças melhores condições, encerra-se a escola. É esse o trabalho que está a ser feito", disse a governante.
A ministra sublinhou que o trabalho está a ser desenvolvido localmente, admitindo que as soluções "não são fáceis". "Por isso o problema tem tantos anos e não está ainda resolvido, porque não é fácil", sustentou.
A responsável pela pasta da Educação disse ainda que, após identificadas e encerradas as 900 escolas, Portugal estará "em condições de enfrentar o desafio da modernização dos estabelecimentos de ensino". "Se elas se encerrarem, nós temos menos essa dor de cabeça e enfrentamos o futuro com outra disposição.
Então [o país] está em condições de enfrentar o desafio da construção dos centros escolares, da modernização das escolas", sustentou Maria de Lurdes Rodrigues. Na sessão de trabalho desta manhã, que juntou 50 autarcas, presidentes de conselhos executivos e elementos da comunidade escolar do concelho de Castelo Branco, o presidente da autarquia local, Joaquim Morão (PS), afirmou que o encerramento de escolas "não é um drama".
"É um assunto falado com alguma polémica e tem de ser desdramatizado. Não temos qualquer problema em assumir o encerramento de escolas, sem qualquer drama", disse o autarca.
Morão acrescentou que no concelho — onde três das 31 escolas públicas do 1º ciclo deverão encerrar no próximo ano lectivo — existem três centros educativos "perfeitamente definidos" (Castelo Branco, Alcains e São Vicente da Beira) para onde serão transferidos os alunos da escolas que encerrarem.
in LUSA