segunda-feira, dezembro 15, 2008

Professores a favor da avaliação reuniram-se

Um grupo de professores a favor da avaliação de desempenho reuniu-se na passada sexta-feira, em Lisboa, com a ministra da Educação para mostrar que estão satisfeitos com a simplificação do processo neste ano lectivo e apoiam a sua implementação.

“Queremos que a avaliação seja feita no interior das escolas mas aceitamos e consideramos fundamental que tivesse havido todo este processo de simplificação porque é o primeiro ano que o vamos implementar”, declarou Armandina Soares, porta-voz do grupo de 13 pessoas de várias escolas do país que estiveram hoje no ministério.

A professora afirmou que as simplificações ajudaram a implementar a avaliação: “Retiraram alguma carga, aligeiram aspectos processuais - as tais famigeradas fichas de avaliação - e trouxeram a possibilidade de os professores poderem optar por querer, este ano, avaliação na componente científico-pedagógica ou serem avaliados na sua componente funcional”, esclareceu.

Sobre a “luta” que tem vindo a ser travada pelos sindicatos pela suspensão do processo, Armandina Soares considerou que “não faz sentido”: “Acho que neste momento temos de partir para o trabalho, já estamos cansados”.

O grupo, que representa cerca de uma centena de docentes a favor da avaliação de desempenho dos professores, defende “um apaziguamento nas escolas e que exista alguma reflexão sobre o que está a acontecer”.

“Queremos que prossiga o processo de avaliação do nosso desempenho, instrumento necessário para a avaliação da profissão docente e contributo decisivo para a qualificação da escola pública”, refere o manifesto entregue hoje à ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues.

No documento, clarificam querer “que a avaliação produza efeitos, premiando o mérito” e reconhecem “na estrutura deste modelo de avaliação” as vertentes “essenciais na avaliação dos professores”.

Armandina Soares sublinhou que o grupo não tem qualquer tipo de conotações partidárias e que se constituiu por proximidade e por desejarem voltar “a olhar num sentido positivo para o trabalho” que têm pela frente.
in LUSA

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Ai querem premiar o mérito? Como? Se neste modelo é titular e avaliador quem nos últimos 7 anitos desempenhou cargos? E quem teve cargos subiu a titular e é avaliador. São os melhores professores os que desempenham cargos que qualquer funcionário administrativo poderia fazer?
Ai, colegas, se isso e esta palhaçada que temos é premiar o mérito vou ali e já venho.

sábado, janeiro 24, 2009  

Enviar um comentário

<< Home