segunda-feira, setembro 28, 2009

Professores esperam que maioria absoluta da oposição ponha fim a polémicas

Os sindicatos de professores esperam o apoio dos partidos da oposição, em maioria no Parlamento, para pôr fim a medidas polémicas do Governo cessante na área da Educação, como a do contestado modelo de avaliação.

“O nosso desejo era que, ganhasse quem ganhasse, não ganhasse com maioria absoluta”, disse o dirigente da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, considerando que “um dos problemas dos últimos quatro anos e meio é que a maioria absoluta não soube negociar”, nem “funcionar com as regras da democracia”.

Mário Nogueira salientou que na última legislatura houve propostas que uniram toda a oposição na Assembleia da República - como a de “contestação ao modelo de avaliação e o fim da divisão da carreira dos professores em duas” - mas que não foram para a frente devido “ao veto sistemático da maioria do Governo”.

Este sindicalista considera que “estão agora criadas melhores condições, porque tudo leva a crer que os partidos irão manter as suas posições em relação àquilo que defenderam e, se assim for, há medidas que foram tomadas e que têm os seus dias contados”.

“Não estamos à espera que a resolução caia do céu: teremos de continuar a fazer-nos sentir e a marcar presença, mas as condições hoje são diferentes, não pela maioria relativa, mas pela maioria absoluta da oposição”, afirmou Mário Nogueira, frisando que espera que o novo governo “saiba ouvir e saiba voltar a ganhar os professores”.

Também João Dias da Silva, da Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE), afirmou que recorrerá aos partidos da oposição para corrigir o que considera estar mal na Educação. “O Parlamento ganhou maior intervenção e na próxima legislatura não deixaremos de, junto dos partidos políticos na AR, relembrar posições tomadas no passado, no sentido de corrigir orientações do governo anterior, decididas sozinhas e com a contestação generalizada de todos os partidos”, realçou.

Assim que souber quem é o próximo ministro da Educação, a FNE entregar-lhe-á um roteiro para a legislatura com as medidas consideradas necessárias no sector, que já apresentou aos partidos políticos.

in LUSA

1 Comments:

Blogger pedronunesnomundo said...

"Professores esperam que maioria absoluta da oposição ponha fim a polémicas "

sabes que "haver polémica" seria bom...
era melhor era eliminar as suas causas
;)

quinta-feira, outubro 01, 2009  

Enviar um comentário

<< Home